em destaque

Rio segue o Bloco

15 de setembro, 00:31

Percebe-se a intenção do Bloco, mas a atitude de Rio é um mistério.

Num País tão sobrecarregado de impostos em que o Fisco tributa tudo o que mexe, o que faltava era um líder de oposição vir com a ideia de mais uma taxa. Rio vai a reboque do Bloco de Esquerda na tributação de mais-valias imobiliárias.

Percebe-se a iniciativa do Bloco, que pretende fazer esquecer e reverter os custos eleitorais do escândalo da rica casa com mansarda em Alfama do antigo vereador Robles. Já a lógica política que preside à iniciativa de Rio é menos compreensível.

Até porque os lucros dos negócios com as casas já são tributados. As pessoas individuais são sujeitas à tributação de mais-valias em sede de IRS e as empresas pagam imposto sobre os lucros no IRC. Uma taxa adicional só tornará os preços mais caros e eventualmente arrefecerá o mercado. Mas Rio devia saber que quanto mais negócios há, mais o Estado lucra no imposto de selo e no IMT.

E há muitos empregos em causa, desde mediadores imobiliários, avaliadores, bancários e outros, além dos postos de trabalho gerados na reconstrução dos imóveis.

comentários

comentar
Faltam 350 caracteres