em destaque

Tudo para a cadeia se for esse o caso

15 de setembro, 00:30

Portugal precisa de ter clubes que só façam a diferença dentro do campo.

Depois da escandaleira que foi o Apito Dourado - em que FC Porto e Boavista, por exemplo, foram inacreditavelmente absolvidos de tudo o que as escutas provam que fizeram - a corrupção pura e dura está de volta ao futebol.

Os tempos são outros e, desta vez, a escandaleira seria ainda maior se depois de tudo o que se está a saber os prevaricadores voltassem a ficar impunes. Isto vale para os casos em que estão envolvidos clubes como Benfica, Sporting e... Moreirense. Vamos lá ver se, agora, como no passado, também não haverá uns amiguinhos bem colocados que façam ruir as acusações já conhecidas e outras que estão ao virar da esquina.

No Apito, era  evidente que alguns se sentiam acima da lei para serem beliscados. Era o tempo dos intocáveis. Da impunidade. Era o tempo em que a visita de um árbitro a casa de um dirigente na véspera de um jogo era transformada num comovente pedido para salvar o casamento ou coisa parecida.

Hoje em dia, porém, já ninguém acredita em histórias da carochinha. Hoje em dia, há uma procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, que já provou não ter medo dos intocáveis. Ainda por cima dos que fazem ataques execráveis ao Estado de Direito. Se for caso disso, que vão todos para a cadeia. O futebol precisa de uma limpeza e Portugal de ter clubes que só façam a diferença no campo.

comentários

comentar
Faltam 350 caracteres