CMTV
Atualidade

MP pede absolvição de todos os arguidos julgados pelo atropelamento mortal de Marco Ficini

É ainda solicitado que o tribunal condene Luís Pina por omissão de auxílio.

MP pede absolvição de todos os arguidos julgados pelo atropelamento mortal de Marco Ficini
Miguel Curado e Lusa|02 de março de 2020 às 15:55

O Ministério Público pediu a absolvição de 21 arguidos que estão a ser julgados pelo atropelamento mortal de Marco Ficini, na sequência de uma batalha entre claques do Benfica e Sporting. Este 21 arguidos estavam acusados por omissão de auxílio e participação em rixa e dano grave. A procuradora Leonor Machado diz que não há prova para os condenar e por isso pediu a absolvição.

Na última sessão de julgamento, que decorre esta segunda-feira no Campus da Justiça, o MP pediu ainda que o tribunal condene Luís Pina por omissão de auxílio, crime do qual não estava acusado e que os crimes de homicídio tentado e consumado sejam reduzidos para quatro crimes de ofensas corporais agravadas e um de homicídio com dolo eventual. A procuradora não pediu nenhuma pena específica, apenas "que se faça justiça". Para o MP, nem as imagens de videovigilância do estádio da Luz provam o crime de homicídio.

O advogado Melo Alves, que representa o principal arguido no processo do atropelamento mortal do adepto italiano junto ao Estádio da Luz, em 2017, discordou da pena pedida pelo Ministério Público (MP) ao seu cliente.

O advogado não se mostrou surpreendido quanto à acusação de homicídio consumado por dolo eventual, que diz ser "expectável", apesar de considerar "alguma dificuldade" no pedido e por ter sido "na forma menos grave no que concerne ao dolo".

Apesar de ter havido uma mudança na acusação de homicídio na forma tentada diminuindo a gravidade para ofensas à integridade física, Melo Alves reiterou "não concordar em absoluto" com a posição do MP.

"Qualquer pessoa que estivesse ali à frente daquele cenário tem de ter determinado comportamento: ou foge para trás sendo cobarde, o que o meu cliente não é, nem o direito o obriga a ser, ou então para e seria vandalizado. O meu cliente optou por uma terceira via que era obrigar as pessoas que estavam à frente a desviarem-se", explicou.

Segundo Melo Alves, há "muitas coisas que foram mal feitas, mal investigadas" no decurso do processo, daí que considere um "lapso" do MP o facto de este pedir a condenação do seu cliente de um crime de omissão de auxílio que o mesmo não pode ser condenado porque "não vem sendo acusado".

"Uma vez que o MP já se pronunciou, o que vos digo, no meu entendimento: o meu cliente não cometeu nenhum crime", avançou aos jornalistas, pedindo que se aguarde pela argumentação da defesa, prevista para acontecer em 16 de março.

Marco Ficini morreu a 22 de abril de 2017, atropelado por um carro conduzido por Luís Pina. No banco dos réus estavam, pala lá de Pina, 21 arguidos (10 dos No Name Boys e 12 da Juve Leo), acusados por participação em rixa, omissão de auxílio e dano com violência.

Mais Lidas
Guia TV
  • 06:44 FALAR GLOBAL
  • 06:57 NOTÍCIAS CM
  • 10:25 FALAR GLOBAL
  • 10:44 SOS DONOS EM APUROS
  • 10:57 JORNAL DE PORTUGAL
  • 11:35 PRATO DA CASA
  • 11:57 JORNAL DE PORTUGAL
  • 12:30 CM JORNAL HORA DO ALMOÇO
  • 14:57 NOTÍCIAS CM
  • 15:08 REPORTAGEM CM
  • 15:35 NOTÍCIAS CM
  • 16:03 REPORTAGEM CM
  • 16:57 NOTÍCIAS CM
  • 17:30 SEPARADOS PELA VIDA
  • 17:57 ESPECIAL INFORMAÇÃO
  • 18:57 JORNAL AS 7
  • 19:45 CM JORNAL 20H
  • 21:57 GOLOS
  • 00:30 RUA SEGURA
  • 01:30 NOTÍCIAS CM
  • 02:30 REPORTAGEM CM
  • 02:50 INVESTIGAÇÃO CM
  • 03:15 INVESTIGAÇÃO CM
  • 03:36 LÍNGUA MÃE
  • 03:53 PAÍS A SAQUE
  • 04:00 TELEVENDAS
  • 05:45 FALAR GLOBAL