CMTV
Atualidade

Governo aprova proposta de Orçamento do Estado para 2022

Proposta aprovada em Conselho de Ministros.

Governo aprova proposta de Orçamento do Estado para 2022
Correio da Manhã e Lusa|12 de abril de 2022 às 16:07
O Governo aprovou esta terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2022 em reunião extraordinária do Conselho de Ministros, documento que será entregue na quarta-feira na Assembleia da República e divulgado então publicamente.

As linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado foram apresentadas na segunda-feira aos partidos com representação parlamentar (PS, PSD, Chega, Iniciativa Liberal, Bloco de Esquerda e PCP) e aos deputados únicos do PAN e Livre pelos ministros das Finanças, Fernando Medina, e Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes.

Ao contrário do habitual, os membros do Governo não prestaram declarações aos jornalistas no final da ronda com os partidos, mas a Iniciativa Liberal fez saber que o executivo socialista projeta já uma inflação de 4% para este ano, mais do que os 2,9% previstos no Programa de Estabilidade.

O PSD disse mesmo que este ano haverá "uma austeridade encapotada" com os aumentos salariais a não compensarem a subida da inflação.

Já o PS respondeu que introduzir imediatas compensações salariais poderá gerar uma "espiral inflacionista" e que a solução passa por controlar os preços para proteger os rendimentos das famílias.

Ainda em relação ao cenário macroeconómico, o Governo deverá manter a meta do défice de 1,9% e admite-se que poderá baixar a estimativa de 5% para o crescimento económico este ano.

Na segunda-feira, após uma reunião da concertação social, as confederações patronais fizeram saber que o Orçamento deveria ser menos focado no défice e mais na economia, defendendo que o Governo faça a sua parte perante a perda do poder de compra atuando através da política fiscal.

"As empresas já estão a aumentar os salários, mas não têm capacidade para acompanhar a subida da inflação", referiu o presidente de Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), João Vieira Lopes, notando que neste contexto cabe também ao Governo "fazer a sua parte" atuando ao nível dos impostos sobre as empresas e do lado do IRS.

Durante a última campanha eleitoral, o secretário-geral do PS afirmou que manteria na nova proposta de Orçamento, entre outras medidas, o aumento extraordinário paras as pensões mais baixas em dez euros, o desdobramento dos terceiros e sexto escalões do IRS e um desgravamento do IRS para os mais jovens.

António Costa adiantou que as medidas atrás referidas teriam efeitos retroativos a janeiro.

Mais Lidas
Guia TV
  • 06:00 NOTÍCIAS CM
  • 09:08 MANHÃ CM
  • 10:53 JORNAL DE PORTUGAL
  • 12:53 CM JORNAL HORA DO ALMOÇO
  • 14:53 NOTÍCIAS CM
  • 15:08 RUA SEGURA
  • 15:53 NOTÍCIAS CM
  • 16:15 TARDE CM
  • 16:50 DIRETO CM
  • 17:18 MERCADO
  • 18:57 JORNAL AS 7
  • 19:45 CM JORNAL 20H
  • 21:30 INVESTIGAÇÃO CM
  • 21:53 LIGA D´OURO
  • 00:30 JORNAL DA MEIA-NOITE
  • 01:30 NOTÍCIAS CM
  • 02:20 HORA RECORD
  • 02:30 INVESTIGAÇÃO CM
  • 02:53 INVESTIGAÇÃO CM
  • 03:18 REPORTAGEM CM
  • 03:45 LIGA D´OURO