CMTV

Futebol

Bruno Paixão ameaçado de morte por adeptos do FC Porto

Árbitro tem recebido mensagens intimidatórias.

A carregar o vídeo ...

Os ânimos no futebol português estão a ficar mais tensos à medida que o campeonato se aproxima do fim. O Benfica e o FC Porto lutam pelo título nacional e a arbitragem está constantemente na mira dos adeptos dos dois rivais.

Prova disso mesmo são as mensagens intimidatórias que o árbitro Bruno Paixão tem recebido. O juiz setubalense, de 44 anos, tem sido regularmente ameaçado e vai apresentar queixa na polícia judiciária contra sócios e simpatizantes do FC Porto, segundo apurou o Correio da Manhã.

Nas mensagens a que a CMTV teve acesso é possível ver os muitos insultos dirigidos ao árbitro. Nesta mensagem por exemplo, Vítor Oliveira refere que Bruno Paixão vai ficar "bem marcadinho" e lembra o episódio de Pedro Proença, em que foi agredido no centro comercial Colombo em 2011.

Aqui Bruno Paixão é apelidado de "toupeira" e questionado sobre que quantia recebeu para beneficiar o Benfica em Santa Maria da Feira, um jogo que terminou com a vitória dos encarnados por 4-1 e sob forte contestação do Feirense. Nesse encontro, onde Bruno Paixão foi videoárbitro, o Feirense reclamou um golo anulado, um penálti por assinalar e ainda uma grande penalidade a favor das águias mal ajuizada.

As ofensas dirigidas são muitas e aqui o juiz setubalense é acusado de ser benfiquista e de andar a cavar a sua sepultura desde um jogo em campo maior.

Depois do jogo quente em Santa Maria da Feira, o FC Porto, através de uma publicação no Dragões Diário com o nome ‘paixão vermelha’, pediu mesmo que Bruno Paixão fosse afastado dos jogos que vão decidir o campeão nacional. Os dragões referiram ainda que o setubalense teve uma carreira cheia de erros insustentáveis e que segue a mesma linha como videoárbitro.

Bruno Paixão teme pela própria integridade física e pela da família e vai mesmo apresentar queixa na polícia judiciária devido às ameaças que tem recebido de adeptos e simpatizantes do FC Porto.